Seminário

O Seminário Propedêutico

O Seminário da Diocese de São Mateus resultou da preocupação do primeiro Bispo Dom José Dalvit com a formação do clero autóctone. Sua primeira obra foi a construção do Seminário Diocesano João XXIII, na cidade de São Mateus, para acolher seminaristas menores. A obra foi iniciada em 17 de janeiro de 1960 e inaugurada em março de 1961 com os primeiros 36 alunos. Com o término do Concílio Vaticano II, em 1965, houve uma crise geral das vocações e o seminário foi questionado. Não havia dado frutos e acreditava-se que não daria, enquanto continuasse recebendo como candidatos crianças e adolescentes. Nos anos 68 a 70, optou-se pelo fechamento gradual do mesmo, passando a funcionar em Nova Venécia de forma bem simplificada e com outra modalidade: somente com alunos de 2º grau. Este projeto perdurou até o final do milênio, quando no início do ano 2000 houve a transferência para os fundos do antigo seminário João XXIII em S. Mateus, – hoje o CEDI – Centro Diocesano. Local agora adaptado e ampliado para o funcionamento.

Hoje, na sua maioria, os jovens que ingressam no Seminário Propedêutico possuem entre 17 e 20 anos, após a conclusão do Ensino Médio. É claro que o jovem antes de ingressar no Seminário passa por todo um trabalho de discernimento vocacional em nível paroquial e diocesano com a equipe do SAV (Serviço de Animação Vocacional).

Segundo o Projeto de Formação da Diocese de São Mateus, o objetivo da formação do Seminário Propedêutico é o de proporcionar ao candidato ao Seminário Maior “um tempo de preparação humana, cristã, intelectual e espiritual (PDV, 62), em vista de um melhor discernimento vocacional, tendo a dimensão humano-afetiva um lugar prioritário (DBFPIB, 56).

O Seminário Maior

O Seminário Maior São Mateus destinado aos seminaristas maiores, foi erigido pelo decreto diocesano de 09 de fevereiro de 1976; após alguns anos de funcionamento em Belo Horizonte, foi transferido em 82 para a periferia da Grande Vitória – Município da Serra, iniciando assim uma nova fase na formação do clero local, num contexto de novo despertar vocacional. Entre os anos 86 e 95 houve a experiência de duas casas independentes, uma para filosofia e outra para teologia. Contudo, o número sempre escasso de candidatos, fez com que as casas se unificassem. Os primeiros frutos desta nova fase começaram a surgir em 88 com a ordenação de um presbítero e três diáconos na inauguração da nova Catedral. Devido às mudanças de mentalidade, espaços insuficientes e reunificação das casas a equipe de formação começou a pensar, em 96, na possibilidade de uma ampliação da casa da filosofia. Porém se tornou inviável pelo fato de o terreno ser mínimo.

Tentou-se ampliar a casa da teologia mas a burocracia impediu ao ponto de se desistir desta ideia e partir para aquisição de um novo terreno regularizado e registrado e construção de um novo seminário maior. Isto se deu no fim de julho e início de agosto de 2000. É nesta fase que a Diocese se encontra neste início de milênio. O Bispo Dom Aldo, no ano jubilar dos seus 30 anos episcopais, também celebrando os 70 anos de vida, convocou toda a diocese para celebrar o ano vocacional diocesano. Escrevendo uma carta pastoral, visitando todas as paróquias, o Bispo faz sua campanha pessoalmente, convidando jovens para ingressar nas fileiras dos vocacionados.

O lançamento da Pedra Fundamental do novo seminário maior, exatamente na festa da Penha de 2001, com uma bela Romaria, marcou profundamente a vida da Igreja Particular de São Mateus; sob à bênção de Nossa Senhora da Penha. No ano seguinte, a mesma Romaria retorna a Festa da Penha e inaugura o novo prédio do Seminário Maior de São Mateus.

O Seminário Maior acolhe os jovens que passaram pelo Seminário Propedêutico e agora dão continuidade a sua caminhada vocacional fazendo os cursos de Filosofia e Teologia, dando-os uma integração nas cinco dimensões formativas do candidato à vida presbiteral: Intelectual, Espiritual, Humano-afetiva, Comunitária e Pastoral-Missionária.

O curso de Filosofia tem duração de 3 anos na Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo, para firmar os alicerces deste período com a ajuda da História da Filosofia. Já o curso de Teologia é feito em 4 anos no Instituto de Filosofia e Teologia da Arquidiocese de Vitória. Neste processo formativo o candidato é admito oficialmente e recebe ministérios (leitorato e acolitato) que o preparam para receber as Ordens Sagradas (Diaconato e Presbiterato).

Seminaristas

Seminário propedêutico

Evanderson Medeiros

Fabrício Soares Pardim

Luiz Franciel Ferreira de Oliveira

Pablo dos Santos França

Pedro Lucas Santos Cordeiro

Seminário maior

Cosme da Rocha

Daniel Sousa Bergamim

Dener Evangelista Barbosa de Sales

Diolino Barbosa dos Santos

Edson Delfino

Elias Oliveira da Silva

Igo Luís Oliveira Venturini

Jonathan Costa Rocha

Lucian Santana Freire

Magno Nogueira Pereira

Marlon Cordeiro Gomes Silva

Nailson Rocha Chagas

Ramon Julio Vilaça

Thiago Pratissoli

Wallas de Jesus Simões

Wanderson Silva Dias